Portal Domínio Público - Biblioteca digital desenvolvida em software livre  
Missão
Política do Acervo
Estatísticas
Fale Conosco
Quero Colaborar
Ajuda
 
 
Tipo de Mídia: Texto
Formato:  .pdf
Tamanho:  6.84 MB
     
  Detalhe da ibra
Pesquisa Básica
Pesquisa por Conteúdo
Pesquisa por Nome do Autor
Pesquisa por Periodicos CAPES
 
     
 
Título:  
  Estudo numérico dos meandros e vórtices da corrente do Brasil entre 22°s e 30°s
Autor:  
  Mariela Gabioux   Listar as obras deste autor
Categoria:  
  Teses e Dissertações
Idioma:  
  Português
Instituição:/Parceiro  
  [cp] Programas de Pós-graduação da CAPES   Ir para a página desta Instituição
Instituição:/Programa  
  UFRJ/ENGENHARIA OCEÂNICA
Área Conhecimento  
  ENGENHARIA NAVAL E OCEÂNICA
Nível  
  Doutorado
Ano da Tese  
  2008
Acessos:  
  618
Resumo  
  A caracterização da circulação de mesoescala; os meandros e os vórtices da Corrente do Brasil (CB); entre 22° e 30°S é realizada a partir dos resultados de duas simulações numéricas; uma regional (SR) e outra global (SG) em alta resolução espacial (1/16 e 1/12 grau; respectivamente); desenvolvidas com o modelo oceânico HYCOM. A SR é parte de uma série de simulações regionais aninhadas com resolução espacial de crescente (1; 1/4 e 1/16 grau) realizadas no escopo da tese; a SG foi desenvolvida pelo Hycom Consortium. Nas duas simulações; o campo de massa local e o sentido preferencial das correntes de contorno oeste foram bem representados; embora a intensidade da CB tenha sido superestimada na SR. As simulações SR e SG apresentaram 3 e 6 sinais ciclônicos (cavados de meandros ou vórtices ciclônicos) por ano respectivamente; todos localizados em Cabo Frio (24°S/42°W). Na SG foram observados também anticiclones e pares vorticais. Os meandros apresentaram comprimentos da ordem de 400km e 300km e amplitudes de 30km e 50km na SR e na SG; respectivamente. Alguns dos vórtices ciclônicos da SR foram semelhantes; em tamanho; aos simulados na SG (diâmetro médio de ~80km); porém quase estacionários (na SG o deslocamento foi preferencialmente para SW). Outros apresentaram dimensões maiores e deslocamento para NE. Nos experimentos aninhados; a relação entre as resoluções de experimentos sucessivos e a inclusão; no primeiro experimento da série; do fluxo barotrópico relativo à Corrente Circumpolar Antártica no Drake e ao sul da África; foram pontos cruciais para uma boa representação da circulação na região subtropical; da CB e dos processos de mesoescala.
     
    Baixar arquivo