Portal Domínio Público - Biblioteca digital desenvolvida em software livre  
Missão
Política do Acervo
Estatísticas
Fale Conosco
Quero Colaborar
Ajuda
 
 
Tipo de Mídia: Texto
Formato:  .pdf
Tamanho:  1.37 MB
     
  Detalhe da ibra
Pesquisa Básica
Pesquisa por Conteúdo
Pesquisa por Nome do Autor
Pesquisa por Periodicos CAPES
 
     
 
Título:  
  Estudo sobre a capacidade de autofinanciamento de setores produtivos com distintos graus de concentrações
Autor:  
  Carlos Roberto Gabriani   Listar as obras deste autor
Categoria:  
  Teses e Dissertações
Idioma:  
  Português
Instituição:/Parceiro  
  [cp] Programas de Pós-graduação da CAPES   Ir para a página desta Instituição
Instituição:/Programa  
  UFSC/ECONOMIA
Área Conhecimento  
  ECONOMIA
Nível  
  Mestrado
Ano da Tese  
  2007
Acessos:  
  562
Resumo  
  Este trabalho tem por objetivo realizar uma análise sobre a capacidade de autofinanciamento das empresas em setores com diferentes graus de concentração de suas atividades produtivas. Essa capacidade está circunscrita por fatores macro e microeconômicos. No plano macro, a capacidade de autofinanciamento é definida pelas condições de liquidez da economia e os mecanismos de financiamento existentes como a poupança prévia e o finance-funding. No plano micro, ela é definida pelo potencial de acumulação interna e pelo processo concorrencial estabelecido no interior das estruturas de mercado, sendo que estruturas relativamente mais concentradas apresentam maior poder de influir discricionariamente no mercado, tendo maior capacidade de financiar investimentos com recursos próprios. Além disso, a capacidade de autofinanciamento também está circunscrita pelo grau de abertura financeira que implica em novas alternativas de financiamento através do acesso aos mercados de crédito e de capitais no exterior e dos fluxos de capitais estrangeiros. O grau de liquidez da economia, o potencial de acumulação interna e a abertura financeira estabelecem as pressões sobre preços e margens de lucros (mark ups) das empresas inversoras determinando a necessidade de geração de recursos internos requeridos para financiar os investimentos. As empresas brasileiras do setor cimento apresentaram capacidade de financiar o Ativo Permanente com lucro ou prejuízo líquido maior que as empresas do setor têxtil durante a segunda metade da década de 90.
     
    Baixar arquivo