Portal Domínio Público - Biblioteca digital desenvolvida em software livre  
Missão
Política do Acervo
Estatísticas
Fale Conosco
Quero Colaborar
Ajuda
 
 
Tipo de Mídia: Texto
Formato:  .pdf
Tamanho:  626.90 KB
     
  Detalhe da ibra
Pesquisa Básica
Pesquisa por Conteúdo
Pesquisa por Nome do Autor
Pesquisa por Periodicos CAPES
 
     
 
Título:  
  Efeito do consumo de farinha de linhaça (Linum usitatissimum) no crescimento de ratos Wistar e sua relação com a digestibilidade de globulinas e fatores antinutricionais protéicos nas albuminas
Autor:  
  Katya Anaya Jacinto   Listar as obras deste autor
Categoria:  
  Teses e Dissertações
Idioma:  
  Português
Instituição:/Parceiro  
  [cp] Programas de Pós-graduação da CAPES   Ir para a página desta Instituição
Instituição:/Programa  
  UFRN/BIOQUÍMICA
Área Conhecimento  
  BIOQUÍMICA
Nível  
  Mestrado
Ano da Tese  
  2007
Acessos:  
  1,145
Resumo  
  A linhaça (Linum usitatissimun) é uma importante oleaginosa consumida crua como suplemento nutricional; que apesar de representar rica fonte de nutrientes; pode ter valor nutricional reduzido devido à presença de fatores antinutricionais. Neste estudo as principais frações protéicas da farinha de linhaça crua foram extraídas e isoladas; sendo obtidos 12% de albuminas; 82% de globulinas; 5% de glutelinas e 1% de prolaminas; o padrão eletroforético das proteínas mostrou que as albuminas apresentaram bandas majoritárias de baixa massa molecular em torno de 21 kDa e menores; indicativas da presença de inibidores de tripsina; e nas globulinas foram observadas algumas bandas intensas que provavelmente compõem uma proteína multimérica de alta massa molecular do tipo legumina. Após a obtenção da composição centesimal da farinha crua; esta foi usada como fonte exclusiva de proteínas para ratos recém-desmamados; a fim de avaliar seu efeito no crescimento dos mesmos. Os resultados de depressão do crescimento (ganho de peso 73% inferior ao grupo padrão) e redução no crescimento dos vilos intestinais (35%) levaram à verificação da digestibilidade in vitro e in vivo da fração globulina e detecção de fatores antinutricionais protéicos (inibidores de enzimas digestórias de mamíferos e lectinas) na fração albumina; como possíveis fatores deletérios ao crescimento dos ratos em estudo. As globulinas nativas apresentaram baixa susceptibilidade a digestão in vitro por tripsina e quimotripsina; no entanto sofreram maior degradação pela pancreatina. O aquecimento das globulinas por 5 e 15 minutos a 100ºC aumentou consideravelmente a digestibilidade pela tripsina e pancreatina. No experimento de digestibilidade in vivo; a globulina apresentou alta susceptibilidade à degradação pelas enzimas digestivas (93;2%); semelhante à proteína padrão. Na avaliação da fração albumina; esta apresentou alta atividade inibitória de tripsina (100%) e; em menor grau; inibição de quimotripsina (28;3%); não sendo detectada atividade hemaglutinante. Os resultados obtidos são indicativos da ação negativa dos inibidores de tripsina no crescimento dos animais; no entanto não se pode descartar a possibilidade de uma ação sinergística com outros fatores antinutricionais; que comprometem a utilização da linhaça crua como um alimento alternativo.
     
    Baixar arquivo