Portal Domínio Público - Biblioteca digital desenvolvida em software livre  
Missão
Política do Acervo
Estatísticas
Fale Conosco
Quero Colaborar
Ajuda
 
 
Tipo de Mídia: Texto
Formato:  .pdf
Tamanho:  3.41 MB
     
  Detalhe da ibra
Pesquisa Básica
Pesquisa por Conteúdo
Pesquisa por Nome do Autor
Pesquisa por Periodicos CAPES
 
     
 
Título:  
  Filogenia de falconiformes (aves) baseada em comportamento de autolimpeza
Autor:  
  Alexandre Henrique Quadros   Listar as obras deste autor
Categoria:  
  Teses e Dissertações
Idioma:  
  Português
Instituição:/Parceiro  
  [cp] Programas de Pós-graduação da CAPES   Ir para a página desta Instituição
Instituição:/Programa  
  USP/PSICOLOGIA (PSICOLOGIA EXPERIMENTAL)
Área Conhecimento  
  PSICOLOGIA
Nível  
  Doutorado
Ano da Tese  
  2008
Acessos:  
  607
Resumo  
  Este estudo foi baseado em seqüências de autolimpeza e em métodos probabilísticos para compor as seqüências de comportamento. Foi testada a posição filogenética de membros da Ordem Falconiformes e Ciconiiformes. Sete táxons foram estudados: a garça-branca-grande; Ardea(=Casmerodius) alba; Família Ardeidae; harpia; Harpia harpjya; Família Accipitridae; gavião-do-rabo-branco; Buteo albicaudatus; Família Accipitridae; abutre-careca; Trigonoceps occipitalis; Família Accipitridae; abutre-do-coqueiro; Gypohierax angolensis; Família Accipitridae; gavião-pinhé; Milvago chimacima; Família Falconidae; urubu-comum; Coragyps atratus; Família Cathartidae. Para a análise das seqüências comportamentais foram adicionados outros sete táxons de outro estudo (Harpia foi contada apenas uma vez). As seqüências de autolimpeza para as treze espécies totalizaram 3.190; que foram usadas como caracteres filogenéticos. A análise filogenética das seqüências comportamentais resultou em uma única árvore mais parcimoniosa (CI= 0;51 e RI= 0;44). O cladograma obtido apresentou bons escores no teste Bootstrap; mas não apresentou um arranjo muito claro entre os ramos. É possível que dificuldades ao se registrar eventos comportamentais possam ter causado os problemas na topologia do cladograma. Baseando-se nessa hipótese foram excluídas três espécies que apresentaram maior incongruência na topologia. Um novo cladograma foi obtido (CI= 0;69 e RI= 0;47). A última análise propõe que Falconiformes não é um grupo monofilético; Cathartidae e Threskiornitidae são táxons estreitamente relacionados a Falconiformes. Ardea foi considerada como grupo externo e não relacionado a ii Threskiornitidae. Em suma; Falconiformes é apresentado como um táxon contido em Ciconiiformes; Cathartidae não é um grupo basal; ao contrário; é um grupo mais recente e grupo-irmão de Threskiornitidae. As duas espécies de abutres aparecem como grupos divergentes.
     
    Baixar arquivo