Portal Domínio Público - Biblioteca digital desenvolvida em software livre  
Missão
Política do Acervo
Estatísticas
Fale Conosco
Quero Colaborar
Ajuda
 
 
Tipo de Mídia: Texto
Formato:  .pdf
Tamanho:  1.47 MB
     
  Detalhe da ibra
Pesquisa Básica
Pesquisa por Conteúdo
Pesquisa por Nome do Autor
Pesquisa por Periodicos CAPES
 
     
 
Título:  
  Estudo da variabilidade genética do cardinal (Ostariophysi: Characiformes: Paracheirodon axelrodi) na Bacia do Rio Negro
Autor:  
  Audrey Alencar Arruda D`Assunção   Listar as obras deste autor
Categoria:  
  Teses e Dissertações
Idioma:  
  Português
Instituição:/Parceiro  
  [cp] Programas de Pós-graduação da CAPES   Ir para a página desta Instituição
Instituição:/Programa  
  INPA/GENÉTICA, CONSERVAÇÃO E BIOLOGIA EVOLUTIVA
Área Conhecimento  
  GENÉTICA
Nível  
  Mestrado
Ano da Tese  
  2006
Acessos:  
  358
Resumo  
  O peixe ornamental cardinal (Paracheirodon axelrodi) é um dos caracídeos amazônicos mais exportados. Desde 1950; os cardinais vem sendo coletados para fins comerciais ao longo de sua distribuição natural nos tributários dos rios Negro e Orinoco (Brasil; Colômbia e Venezuela). Somente o cardinal é responsável por 80% do total de peixes ornamentais exportados da região amazônica. Apesar dessa importância atualmente não existe nenhum plano de gestão da pesca ornamental. Como parte de um esforço para desenvolver marcadores moleculares hipervariáveis para os peixes amazônicos e contribuir com informação genética para futuros planos de manejo e conservação; foram desenvolvidos marcadores microssatélites para o cardinal (P. axelrodi) e adicionalmente microssatélites previamente publicados foram utilizados. A partir de protocolo de enriquecimento para microssatélites e hibridização seletiva com sondas oligonucleotídicas 12 microssatélites foram desenvolvidos e caracterizados sendo que cinco mostraram-se polimórficos e apenas dois mostraram-se aptos para as análises populacionais. Usando 6 locos de microssatélites previamente publicados a estrutura genética de seis populações selvagens de P. axelrodi coletados em anos distintos e provenientes dos municípios de Barcelos (Igarapé Cajarizinho; Igarapé Zamula e Lago Rainha) e Santa Izabel do rio Negro (rio Tea; rio Urubaxi e Igarapé Iaha) foi investigada. O polimorfismo dos locos de microssatélites foi avaliado; tendo sido encontrado um total de 17 alelos. Estes marcadores microssatélites detectaram quantidades substanciais de variação genética; com a heterozigosidade observada (Ho) variando de 0.1 a 0.967 e a heterozigosidade esperada (He) variando de 0.059 a 0.938. A maioria dos locos nas populações analisadas estavam em equilíbrio de Hardy- Weinberg (H-WE); mas em alguns casos desvios neste equilíbrio foram observados. Além disso; houve evidências de desequilíbrio de ligação em alguns locos. De uma maneira geral; as populações do cardinal foram caracterizadas por uma alta diversidade genética (d = 0;744) com evidência de uma pequena estruturação genética (Fst = 0;14309); a qual pode ser revertida ou minimizada pelo fluxo gênico estimado (Nm= 1 - 9). Foi sugerido que o rio Negro não é uma barreira à dispersão do cardinal e que as populações amostradas ainda podem ser consideradas como parte de uma única unidade de manejo. O teste de Mantel não mostrou nenhuma correlação entre a distância genética e a distância geográfica para as amostragens de 1999; o mesmo não podendo ser dito para as de 2005. Diferentes resultados foram obtidos com os testes Bottleneck e Mvalues para detectar afunilamento populacional ("bottleneck"); sendo observado afunilamento apenas no segundo teste e em algumas populações. Concluiuse que o cardinal do médio rio Negro não está imediatamente ameaçado pela perda de potencial evolutivo por eventos de longo prazo; como a pesca extrativista; ou por eventos cíclicos de curto prazo; como o El Niño.
     
    Baixar arquivo