Portal Domínio Público - Biblioteca digital desenvolvida em software livre  
Missão
Política do Acervo
Estatísticas
Fale Conosco
Quero Colaborar
Ajuda
 
 
Tipo de Mídia: Texto
Formato:  .pdf
Tamanho:  2.95 MB
     
  Detalhe da ibra
Pesquisa Básica
Pesquisa por Conteúdo
Pesquisa por Nome do Autor
Pesquisa por Periodicos CAPES
 
     
 
Título:  
  A relação entre o espaço escolar e violência infantojuvenil no contexto de ação do programa da patrulha escolar em Ponta Grossa-PR
Autor:  
  Adriane Iaroczinsky   Listar as obras deste autor
Categoria:  
  Teses e Dissertações
Idioma:  
  Português
Instituição:/Parceiro  
  [cp] Programas de Pós-graduação da CAPES   Ir para a página desta Instituição
Instituição:/Programa  
  UEPG/GEOGRAFIA
Área Conhecimento  
  GEOGRAFIA
Nível  
  Mestrado
Ano da Tese  
  2009
Acessos:  
  433
Resumo  
  O objetivo desta pesquisa é compreender a relação entre o espaço escolar e violência infantojuvenil no contexto de ação do Programa da Patrulha Escolar em Ponta Grossa-PR. A violência infanto-juvenil é heterogênea, havendo elementos constitutivos desta espacialidade diferencial a serem explorados. Assim, sob esta concepção, tem-se por objetivo compreender o espaço escolar e sua relação com a violência infanto-juvenil a partir da implantação do Programa da Patrulha Escolar em Ponta Grossa-PR. A apreensão da organização do espaço como produto social tem se constituído por um longo percurso de investigação entre os geógrafos. Neste contexto, as abordagens vinham privilegiando o estruturalismo entre as classes sociais e a lógica da acumulação do capital pautado, na teoria marxista. Apesar do avanço das idéias defendidas pelas correntes do pensamento geográfico alguns elementos como as categorias crianças e adolescentes nem sempre existiram, foram construídas historicamente em suas realidades sociais. A violência escolar infanto-juvenil ancora um processo que inclui a diversidade cultural e as condições sócio-econômicas, os quais contribuem na produção do espaço. O espaço geográfico produzido por indivíduos marginalizados socialmente, que estão fora de um padrão cultural seguido por uma sociedade, são negligenciados e ausentados como atores que promovem a reprodução do espaço social. Tais elementos se tornam importantes para se considerar de forma acentuada num estudo científico. É nesta perspectiva que a proposta de pesquisa enfatiza o segmento social infantojuvenil como atores sociais transformadores do espaço através da dinâmica da violência escolar. Torna-se, portanto, de grande relevância pesquisar sobre a violência infanto-juvenil no espaço escolar visto que remete a uma discussão sobre o papel da escola na sociedade e o papel do Estado enquanto regulador das relações sociais presentes no espaço escolar, os quais são partes integrantes da dinâmica sócio-espacial e também como fonte organizadora das consciências sociais. Utilizando-se da pesquisa quantitativa e qualitativa, buscou-se na coleta de dados, observações a campo e entrevistas exploratórias com os atores sociais com propósitos de investigação por meio de suas concepções e percepções a respeito da violência escolar. Essas metodologias empregadas permitiram chegar a um resultado abrangente que proporcionou nortear o objeto de estudo desta pesquisa para melhor compreensão desse fenômeno. Com os resultados quantitativos foram identificadas as escolas com os maiores índices de violência registrados pelo Programa da Patrulha Escolar, o que possibilitou a construção do perfil dos atos violentos cometidos e sofridos pelo grupo social infanto-juvenil e com os resultados qualitativos viabilizou diagnosticar e compreender a expressividade da violência escolar, a partir da visão dos agentes sociais responsáveis neste processo, educadores, policiais e alunos, caracterizando suas avaliações e suas ações implementadas diante da problemática da violência escolar.
     
    Baixar arquivo