Portal Domínio Público - Biblioteca digital desenvolvida em software livre  
Missão
Política do Acervo
Estatísticas
Fale Conosco
Quero Colaborar
Ajuda
 
 
Tipo de Mídia: Texto
Formato:  .pdf
Tamanho:  5.70 MB
     
  Detalhe da ibra
Pesquisa Básica
Pesquisa por Conteúdo
Pesquisa por Nome do Autor
Pesquisa por Periodicos CAPES
 
     
 
Título:  
  Ecologia populacional, estratégias reprodutivas e uso de recursos por isópodos terrestres neotropicais (Crustacea, isopoda)
Autor:  
  Aline Ferreira de Quadros   Listar as obras deste autor
Categoria:  
  Teses e Dissertações
Idioma:  
  Português
Instituição:/Parceiro  
  [cp] Programas de Pós-graduação da CAPES   Ir para a página desta Instituição
Instituição:/Programa  
  UFRGS/BIOLOGIA ANIMAL
Área Conhecimento  
  ZOOLOGIA
Nível  
  Doutorado
Ano da Tese  
  2009
Acessos:  
  463
Resumo  
  Os isópodos terrestres (Crustacea; Oniscidea) apresentam adaptações únicas à vida terrestre; tanto fisiológicas quanto morfológicas e comportamentais. Habitam uma grande variedade de ambientes e são facilmente capturados e mantidos em laboratório; constituindo assim um ótimo modelo para investigações que contribuam para um melhor entendimento da ecologia de solo. Apesar de sua grande importância para o funcionamento dos ecossistemas através da detritivoria e da posição chave que ocupam nas teias tróficas; pouco se sabe sobre a ecologia dos oniscídeos Neotropicais. Neste estudo; foram conduzidos estudos comparativos; relativos à ecologia populacional; estratégias reprodutivas e padrões de atividade das duas espécies de isópodos mais abundantes e representativas do sul do Brasil; Atlantoscia floridana (van Name; 1940) (Philosciidae) e Balloniscus glaber Araujo & Zardo; 1995 (Balloniscidae). Foram comparadas também as preferências alimentares dessas espécies em relação a duas espécies paleárticas; visando propor um modelo para as preferências alimentares dos isópodos. Os estudos relativos à ecologia populacional foram conduzidos no Parque Estadual de Itapuã; no Rio Grande do Sul; Brasil. Após amostragens de maio de 2004 a abril de 2005; 3748 indivíduos foram capturados; correspondendo a seis espécies: B. glaber; A. floridana; Pseudodiploexochus tabularis (Barnard; 1932)(Armadillidae); Trichorhina sp. (Platyarthridae); Alboscia itapuensis Araujo & Quadros 2005 (Philosciidae) e Novamundoniscus gracilis Lopes & Araujo; 2003 (Dubioniscidae). A densidade média foi de 368 ind. m-2. Entre estas espécies; A. floridana e B. glaber foram as mais abundantes e mostraram alta associação espacial; com 88% dos seus indivíduos ocorrendo juntos e de forma agregada. A biomassa destas duas espécies foi de 4;92 kg ha-1 (B. glaber) e 0;97 kg ha-1 (A. floridana). Foi estimado que as duas espécies juntas são capazes de processar 860 kg folhas ha-1 ano-1; correspondendo à 16% do aporte anual de folhas na serapilheira. A densidade média de A. floridana foi 114 ind. m-2 e de B. glaber foi 133 ind.m-2. Em relação à ecologia populacional; verificamos diferenças entre as espécies. Enquanto as fêmeas reprodutivas de A. floridana estiveram presentes o ano inteiro; B. glaber mostrou um período reprodutivo mais curto e restrito ao verão e primavera. As duas espécies mostraram alta abundância de fêmeas reprodutivas e mancas na primavera. As populações responderam de forma diferente à seca observada no verão de 2005. As análises das características de história de vida e das tabelas de vida e fecundidade mostraram que as espécies têm estratégias reprodutivas distintas: A. floridana apresenta menor longevidade e desenvolvimento mais rápido; começa a se reproduzir mais cedo; mostra menor investimento parental; maior taxa reprodutiva líquida (R 0 ); maior taxa de crescimento (r) e menor tempo de geração (T) em comparação com B. glaber. Estas estratégias de história de vida foram interpretadas sob as predições da teoria r-K e relações dessas predições e o grau de especialização de uso de hábitat. O maior tamanho corporal; presença de pulmões pleopodais e comportamento escavador parecem conferir a B. glaber uma maior tolerância à dessecação e maior sobrevivência de seus jovens e adultos durante condições climáticas adversas É proposto que a reprodução contínua; curto tempo de geração e alta proporção de fêmeas reprodutivas são respostas de A. floridana à alta mortalidade das suas formas jovens. Em laboratório; o padrão de atividade diário foi investigado em relação à susceptibilidade à dessecação; influência de heterospecíficos no comportamento; frequência das atividades e escolha de hábitat para descanso. Foi verificado que B. glaber tem maior atividade durante a noite e A. floridana tem um padrão bem variável; o qual não é restrito à fase escura. Devido a essa variabilidade; a sua atividade se sobrepõe à atividade de B. glaber; o que leva à rejeição da hipótese de que há partição de tempo entre as espécies. Entretanto; parece haver partição de hábitat através de diferenças dos hábitos de descanso. Observações prévias de que B. glaber se enterra no solo durante esse período foram confirmadas. A ausência de interações agressivas entre as duas espécies e a partição de hábitat ajudam a explicar a alta sobreposição espacial e distribuição agregada que as espécies apresentam. As duas espécies mostraram a mesma preferência alimentar; a qual foi também similar à de duas espécies de isópodos paleárticos Porcellio scaber Latreille; 1804 (Porcellionidae) e Philoscia muscorum (Scopoli; 1763)(Philosciidae). Para concluir; é proposto que isópodos terrestres neotropicais e paleárticos preferem se alimentar de folhas que apresentam uma combinação de altos teores de nitrogênio (>2 %) e cálcio (>1 %) e pouca espessura (<0.1 mm). Muitas propriedades definem os alimentos que são rejeitados; entre elas a presença de tricomas e dureza excessiva (>50 g mm-2).[...]
     
    Baixar arquivo