Portal Domínio Público - Biblioteca digital desenvolvida em software livre  
Missão
Política do Acervo
Estatísticas
Fale Conosco
Quero Colaborar
Ajuda
 
 
Tipo de Mídia: Texto
Formato:  .pdf
Tamanho:  1.15 MB
     
  Detalhe da ibra
Pesquisa Básica
Pesquisa por Conteúdo
Pesquisa por Nome do Autor
Pesquisa por Periodicos CAPES
 
     
 
Título:  
  Desenvolvimento de vidros sodo-cálcicos a partir de resíduos de rochas ornamentais
Autor:  
  Michelle Pereira Babisk   Listar as obras deste autor
Categoria:  
  Teses e Dissertações
Idioma:  
  Português
Instituição:/Parceiro  
  [cp] Programas de Pós-graduação da CAPES   Ir para a página desta Instituição
Instituição:/Programa  
  IME/CIÊNCIAS DOS MATERIAIS
Área Conhecimento  
  ENGENHARIA DE MATERIAIS E METALÚRGICA
Nível  
  Mestrado
Ano da Tese  
  2009
Acessos:  
  292
Resumo  
  Na produção de rochas ornamentais, entre outras etapas, é feita a serragem de blocos para transformá-los em chapas ou placas semi-acabadas. Nesta fase são geradas quantidades expressivas de resíduos, os quais são dispostos de forma inadequada na natureza, sem previsão de utilização. Os resíduos de rochas silicáticas apresentam, em sua composição, óxidos que são matérias primas utilizadas na fabricação de vidros sodo-cálcicos (SiO2, Al2O3, CaO, Na2O e K2O). Os resíduos de rochas carbonáticas são constituídos de óxidos modificadores de rede (CaO e MgO). Neste trabalho foram desenvolvidos quatro vidros tipo sodo-cálcicos utilizando resíduos de rochas ornamentais, as composições foram ajustadas com adição de areia e carbonatos de sódio e cálcio. Os vidros obtidos foram caracterizados quanto à densidade pelo método de Arquimedes, microscopia ótica, análise de fases cristalinas por difração de raios X, dureza Vickers, espectroscopia no ultravioleta visível (UV/VIS) e resistência hidrolítica segundo a norma ISO 719. A análise de difração de raios-x confirmou a vitrificação total das composições que, devido à presença de óxido de ferro, apresentam coloração verde. As medidas das propriedades foram comparadas com as de vidros comerciais visando avaliar o seu emprego industrialmente, e variaram principalmente em relação à quantidade de carbonatos incorporados. Os resultados mostram que estes resíduos podem ser utilizados como aditivo na fabricação de vidros, obtendo assim uma destinação a este resíduo e minimizando o impacto ambiental.
     
    Baixar arquivo