Portal Domínio Público - Biblioteca digital desenvolvida em software livre  
Missão
Política do Acervo
Estatísticas
Fale Conosco
Quero Colaborar
Ajuda
 
 
Tipo de Mídia: Texto
Formato:  .pdf
Tamanho:  1.44 MB
     
  Detalhe da ibra
Pesquisa Básica
Pesquisa por Conteúdo
Pesquisa por Nome do Autor
Pesquisa por Periodicos CAPES
 
     
 
Título:  
  Família e TV: Mais que Dominação e Subordinação
Autor:  
  Mônica Costa de Oliveira Zacarias   Listar as obras deste autor
Categoria:  
  Teses e Dissertações
Idioma:  
  Português
Instituição:/Parceiro  
  [cp] Programas de Pós-graduação da CAPES   Ir para a página desta Instituição
Instituição:/Programa  
  UFRN/CIÊNCIAS SOCIAIS
Área Conhecimento  
  SOCIOLOGIA
Nível  
  Mestrado
Ano da Tese  
  2005
Acessos:  
  155
Resumo  
  O presente trabalho analisa a relação social entre a TV e a Família; a partir das ressignificações dos indivíduos sobre as mensagens televisivas e os discursos que eles próprios fazem sobre Família. A intenção é entender se princípios; valores e crenças construídos e repassados dentro da Família medeiam a mensagem dos Meios de Comunicação de Massa; se ainda existe uma cultura familiar capaz de forjar uma identidade frente a tantos intercâmbios culturais; e qual é o papel dessa identidade enquanto mediação na produção de sentidos. Nas sessões 1 e 2; procede-se a uma abordagem geral sobre a disseminação dos Meios de Comunicação de Massa na Sociedade e a pertinência do trabalho. A terceira sessão trata do método utilizado: uma pesquisa qualitativa com treze famílias oriundas de Natal/RN; situadas na faixa da Classe Média. A fundamentação teórica está contemplada na quarta sessão; onde se faz referência à evolução da Família; com ênfase na de Classe Média; e a algumas correntes teóricas que analisam o fenômeno da Comunicação de Massa; especialmente a partir da segunda metade do século XX. Nas sessões 5 e 6; são apresentados e analisados os dados da pesquisa. Finalmente; na última sessão; como conclusões; pode-se afirmar: que o valor da Família como sustentação emocional é reforçado nos discursos e práticas; que interferem no processo de significação das mensagens aspectos individuais; tanto quanto os repertórios sociais construídos de per si e pelas instituições (incluindo a Família); e que a mensagem midiática é assimilada pelo receptor e faz-se compreensível dentro dos repertórios apreendidos ao longo de sua história de vida; embora sejam também essas mensagens os componentes de construção de tais repertórios.
     
    Baixar arquivo