Portal Domínio Público - Biblioteca digital desenvolvida em software livre  
Missão
Política do Acervo
Estatísticas
Fale Conosco
Quero Colaborar
Ajuda
 
 
Tipo de Mídia: Texto
Formato:  .pdf
Tamanho:  1.45 MB
     
  Detalhe da ibra
Pesquisa Básica
Pesquisa por Conteúdo
Pesquisa por Nome do Autor
Pesquisa por Periodicos CAPES
 
     
 
Título:  
  Embolização da veia gástrica esquerda no tratamento da recidiva hemorrágica em esquistossomóticos submetidos previamente a cirurgia não-derivativa
Autor:  
  Paulo Fernandes Saad   Listar as obras deste autor
Categoria:  
  Teses e Dissertações
Idioma:  
  Português
Instituição:/Parceiro  
  [cp] Programas de Pós-graduação da CAPES   Ir para a página desta Instituição
Instituição:/Programa  
  FCMSCSP/MEDICINA (CIRURGIA)
Área Conhecimento  
  CIRURGIA
Nível  
  Mestrado
Ano da Tese  
  2010
Acessos:  
  406
Resumo  
  Introdução: A cirurgia por técnicas não-derivativas é o tratamento de escolha para o controle da hemorragia digestiva alta secundaria a hipertensão portal esquistossomótica. Contudo, a recidiva hemorrágica em decorrência das varizes gastresofágicas é um evento freqüente. O programa de erradicação endoscópica das varizes gastresofágicas tem o objetivo de prevenir e/ou tratar a recidiva hemorrágica, porém nem todos os doentes respondem ao tratamento. O objetivo deste estudo foi avaliar o sucesso do tratamento de embolização da veia gástrica esquerda no controle da recidiva hemorrágica por varizes gastresofágicas nos doentes esquistossomóticos submetidos previamente a cirurgia não-derivativa. Métodos: Foram estudados, por meio de dados colhidos nos prontuários médicos e dos protocolos de seguimento ambulatorial, a incidência da recidiva hemorrágica e a diminuição quantitativa e qualitativa das varizes gastresofágicas em detrimento das varizes gastresofágicas dos doentes encaminhados para embolização trans-hepática da veia gástrica esquerda no período de dezembro de 1999 até janeiro de 2009. Resultados: Nove doentes (5 homens e 4 mulheres) com média etária de 39,2 anos foram encaminhados para embolização percutânea trans-hepática da veia gástrica esquerda. O tempo médio decorrido entre a DAPE e a abordagem percutânea foi de 8,5 ± 7 anos e o número de episódios de hemorragia digestiva variou de um a sete neste período. Sete doentes (77,8%) foram embolizados com sucesso. Nenhum episódio de ressangramento foi verificado na população do estudo durante o período de acompanhamento, que variou de seis meses a sete anos. Após estudo endoscópico pós-embolização, todos os doentes apresentaram diminuição das varizes gastresofágicas em comparação a endoscopia pré-embolização. Conclusão: A embolização percutânea trans-hepática da veia gástrica esquerda nos doentes esquistossomóticos, previamente operados, determinou a redução das varizes gastresofágicas e foi eficiente no controle do ressangramento para a população estudada.
     
    Baixar arquivo