Portal Domínio Público - Biblioteca digital desenvolvida em software livre  
Missão
Política do Acervo
Estatísticas
Fale Conosco
Quero Colaborar
Ajuda
 
 
Tipo de Mídia: Texto
Formato:  .pdf
Tamanho:  635.95 KB
     
  Detalhe da ibra
Pesquisa Básica
Pesquisa por Conteúdo
Pesquisa por Nome do Autor
Pesquisa por Periodicos CAPES
 
     
 
Título:  
  Gestão estratégica da criação do conhecimento nas organizações hospitalares: um estudo baseado na construção de protocolos médico-assistenciais
Autor:  
  Jacques Édison Jacques   Listar as obras deste autor
Categoria:  
  Teses e Dissertações
Idioma:  
  Português
Instituição:/Parceiro  
  [cp] Programas de Pós-graduação da CAPES   Ir para a página desta Instituição
Instituição:/Programa  
  UNISINOS/ADMINISTRAÇÃO
Área Conhecimento  
  ADMINISTRAÇÃO
Nível  
  Mestrado
Ano da Tese  
  2007
Acessos:  
  105
Resumo  
  O trabalho se insere no campo dos estudos sobre estratégias organizacionais devido ao modo como o tema "gestão da criação do conhecimento" é abordado. O segmento da prestação dos serviços em saúde convive constantemente com a necessidade de incorporar novos conhecimentos estimulados pela descoberta de novas tecnologias, sejam recursos ou modelos assistenciais inovadores. Isto determina um processo sistemático de aprendizagem estratégica e operacional. Entretanto, o contexto organizacional interfere neste processo gerencial. Cada vez mais as organizações hospitalares preocupam-se em utilizar protocolos médico-assistenciais como instrumentos de gestão, visto que absorvem os novos conhecimentos para uso diagnóstico e terapêutico. Fruto desta temática, o estudo se propôs a explorar através da construção de protocolos pelas equipes multiprofissionais, de que forma a criação de um contexto capacitante influencia capacidades gerenciais e determina o conteúdo estratégico do conhecimento gerado no sentido de auxiliar na sustentabilidade da organização hospitalar. A pesquisa foi qualitativa e utilizou o método de casos múltiplos. Houve duas etapas investigativas através de entrevistas não estruturadas - etapa exploratória voltado à dimensão contextual da organização e etapa exploratória diretamente relacionada à dimensão estratégica apreciada através de uma percepção interna. Dentre as várias contribuições salientam-se, principalmente, a necessidade em legitimar uma linguagem entre os diversos profissionais e desenvolver competências para "nutrir" comunidades de prática com o intuito de criar ambientes definitivamente capacitantes. As barreiras se restringiram principalmente a insatisfações com a tecnologia da informação. Paralelamente, o desenvolvimento de capacidades gerenciais no sentido de integrar e combinar recursos de desempenho superior, determinando diferentes conteúdos de conhecimento tais como o know-how diferencial para construir protocolos médico-assistenciais, foi inferido como elemento estratégico fundamental à sustentabilidade das organizações. Complementando, o estudo também sinaliza inúmeras oportunidades para desenvolver projetos e programas de gestão estratégica do conhecimento, além de sugerir uma estrutura analítica a ser utilizada em futuros estudos de pesquisa sobre a gestão do conhecimento como um todo.
     
    Baixar arquivo